Nesta quarta-feira (24/4), os mártires do Genocídio Armênio de 1915 foram homenageados em ato solene realizado na Alesp, presidido pelo deputado Agente Federal Danilo Ballas (PSL).
O evento contou com a presença de representantes das quatro igrejas armênias de São Paulo; o Embaixador da Armênia Ashot Galoyan;  a cônsul honorária da República Armênia em São Paulo, Hilda Diruy Burmaian, além de outras autoridades civis e dezenas de pessoas da Coletividade Armênia.
Confira abaixo o discurso e a oração lidos por Dom Vartan Waldir Boghossian,  Bispo emérito dos Armênios católicos da América Latina.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA – SP – GENOCÍDIO ARMÊNIO

(24/04/2019)

Exmo. Sr. Presidente deste Ato Solene da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Deputado Danilo Balas, digníssimas autoridades civis, diplomáticas e religiosas que compõem a Mesa, prezado público presente.

A Comunidade Armênia Católica deseja usar minha voz, já quase octogenária, para expressar sua satisfação por este Ato Solene.

Como filho deste solo paulista manifestar o nosso muito obrigado a esta Casa de Leis, e em particular ao egrégio Deputado Danilo Balas, por estenderem suas mãos para solidarizar-se conosco pelos 104 anos de luto do Povo armênio, pelo número impressionante de vítimas do seu genocídio iniciado no dia 24 de Abril de 1915.

Esses braços e mãos hoje, 24 de Abril, se entrelaçam com muitos outros pelo globo terrestre, formando uma rede gigante, tecida pela justiça, para defender e proteger os direitos dos povos e das minorias, que reclamam o reconhecimento dessa ignominiosa tragédia, cometida pelo governo turco.

Nos 104 anos transcorridos, foram aumentando o número e o tom das vozes, dentro e fora do povo armênio, que denunciaram e provaram, a existência da decisão e realização governamental otomana, de exterminar o primeiro povo cristão.

Nos últimos anos, em simpósios acadêmicos internacionais sobre o Genocídio, mesmo nesta nossa cidade de São Paulo, estudiosos turcos, vencendo a informação oficial e obrigatória, recebida desde a infância em seu país, deram testemunho acadêmico de reconhecimento histórico do Genocídio armênio.

Mais de vinte países já declararam oficialmente a existência dessa hecatombe sofrida pelos armênios, incluindo Argentina, Uruguai, França, Suíça, Rússia e o Parlamento Europeu. Em 2015, Centenário do Genocídio, também o Vaticano aderiu a essa nobre lista, com a solene e corajosa declaração do Papa Francisco. Na santa Missa no altar papal da Basílica Vaticana, na presença do Presidente da República da Armênia, dos Katolicóses-Patriarcas de Etchmiadzin, da Grande Casa de Cilícia e dos Armênios Católicos, do numeroso Corpo Diplomático junto à Sé Apostólica e de uma multidão de compatriotas e fiéis, provindos dos diversos continentes, Sua Santidade declarou que a perseguição otomana ao Povo Armênio, foi um Genocídio, o primeiro do século vinte. Oxalá, em breve possa, entre essa plêiade de nações, flamear também a bandeira verde-amarela do nosso Brasil!

O brasão do nosso Estado de São Paulo proclama que “Pelo Brasil se faz tudo o que for melhor”, “Pro Brasilia fiant eximia” e no de nossa capital paulista, sede desta Assembleia: “Não sou conduzido, conduzo”, “Non ducor, duco”. Esta Casa, é o nosso augúrio, há de conduzir essa reivindicação a Brasília, para que nossa Pátria, condizente com suas tradições diplomáticas e de amor e respeito à justiça, reconheça o Genocídio Armênio.

No passado e no presente recente, calamidades públicas soterraram grande quantidade de seres humanos. A busca pelos seus restos mortais ainda continua com afinco; é mister dar aos familiares a possibilidade de sepultar os restos mortais de seus entes queridos. Como considerar encerrado o Genocídio Armênio, quando um milhão de corpos de seus parentes continuam insepultos diante da justiça, expostos ao não reconhecimento da monstruosa violência recebida? Contamos com a indispensável e corajosa ajuda desta Casa!

À Coletividade Armênia do Brasil, a segunda da América Latina, fazemos votos que continue amando e servindo com denodo esta sua segunda Pátria, fazendo jus à acolhida fraterna, recebida de suas autoridades e cidadãos!

Em nome do bispo dos Armênios Católicos da América Latina, que represento, Dom Paulo León Hakimian, hoje participando de ato similar na sede de Buenos Aires; em nome do Pároco dos Armênios católicos do Brasil, Pe. Antonio Francisco Lelo, aqui presente, e de todos os membros da nossa Comunidade, reitero o nosso muito obrigado, venerável Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, gentil Deputado Danilo Balas. Deus os proteja!

Dom Vartan Waldir Boghossian, sdb
Bispo emérito dos Armênios católicos da América Latina

Oração proferida por Dom Vartan Waldir Boghossian, sdb

Bispo emérito de todos os Armênio católicos da América Latina

no ato religioso realizado diante do Khatchkar (Cruz de Pedra)

localizado na Sede da Assembleia Legislativa

do Estado de São Paulo

24 de Abril de 2019, 104o Aniversário do Genocídio Armênio

Oh Jesus Cristo, crucificado e ressuscitado, estamos diante da vossa Cruz de pedra, como inúmeras outras, todas significativas e artísticas, espalhadas pelo solo da nossa Mãe Pátria, a Armênia.

É a Cruz da Vitória sobre a morte e o mal; é a Árvore do Novo Testamento, símbolo do vosso amor redentor; é a Cruz da Vida, madeira verde, pois contem brotes de folhas em suas extremidades, sinal de vida.

Vossa Cruz, esta Cruz, nos recorda o quanto sofrestes por nós. Ela recorda o quanto sofreram vosso um milhão e meio de filhos, nossos irmãos, que padeceram, fiéis a vós, o Genocídio Armênio, que esta Assembleia Legislativa de nosso Estado hoje reverencia.

Abençoai-nos a todos, legisladores e convidados, participantes deste providencial Ato Solene.

Derramai sobre o povo brasileiro e sobre todos os povos o respeito, a compreensão, a justiça e a paz.

Amém.

Confira aqui o Vídeo:
Confira algumas fotos do evento: